Confira essas novidades:

O último pedido de uma mulher antes do divórcio mudou a vida de seu marido para sempre.

Postado por , no dia 04 de abril de 2017 em Curiosidade, dica, Noticias
download (2)

Modo de Preparo

Não importa se, neste momento, você está casado, namorando ou solteiro. O Incrível.club lhe recomenda ler esta história sobre quão importante é valorizar as pessoas queridas enquanto elas estão por perto.

Cheguei em casa na hora do jantar, que, neste dia, foi feito por minha mulher. Eu queria falar com ela e o que tinha a lhe dizer era algo complexo, então, respirei fundo e falei: “Preciso dizer algo…«…ela nãi respondeu nada. Simplesmente saiu, foi à geladeira e pegou umas bebidas. Vi a dor em seus olhos.

Tinha de continuar falando de alguma forma e, então, sem mais, disse que deveríamos nos divorciar. Ela apenas me perguntou: «Por quê?». Não pude responder e me mudei de assunto. Então, ela se irritou muito, ficou histérica e começou a arremessar contra mim tudo o que tinha nas mãos. «Você não é homem…», berrava.

Não havia mais nada que dizer. Fui para a cama, mas não conseguia pegar no sono. Notei que ela chorava. Pra mim, era muito difícil explicar o que havia acontecido com nosso casamento. Simplesmente, não saberia responder. Como lhe dizer que não a amava fazia tempo, que a única coisa que sentia por ela era ternura e que havia tempo, havia dado meu coração a Carolina?

No dia seguinte, comecei a preparar os documentos para o divórcio e pensar na separação dos bens. Deixaria a ela a casa, meu carro e 30% da participação em meu negócio. Ela olhou todos os papéis, esboçou um leve sorriso e me disse que não queria nada de mim. Em seguida, começou a chorar novamente. Me senti mal ao pensar nos 10 anos que vivemos juntos, mas sua reação só reforçou o desejo de me separar.

Nesse dia, cheguei tarde em casa, não comi nada e fui direto à cama. Ela estava sentada na mesa e escrevia algo. Acordei na metade da noite e ela ainda estava escrevendo. Não dei a mínima pra isso, afinal, não sentia mais nada por ela.

De manhã, no entanto, ela me disse que tinha algumas condições para aceitar o divórcio. Insistiu em manter uma boa relação na medida do possível e seu argumento era bem razoável: dentro de um mês, nosso filho teria provas na escola e ela acreditava que uma notícia assim o destruiria. Foi difícil discordar, então, concordei. A segunda condição me pareceu tola: ela fazia questão de que durante um mês eu a levasse em meus braços desde o quarto até a porta de casa, como havia feito logo nos dias seguintes a nosso casamento.

Não reclamei; não fazia a menor diferença. Ao chegar ao trabalho, contei sobre os pedidos a Carolina e ela respondeu que era um golpe miserável de minha esposa para me fazer mudar de ideia.

O primeiro dia, quando levei minha esposa até o quarto, me senti incomodo; para mim, ela era alguém estranho. Nosso filho nos viu e disse: «Papai leva mamãe em seus braços». E minha esposa sussurrou: «Não diga nada». Chegando na entrada, pus minha esposa no chão. Dali, ela foi caminhando até o ponto de ônibus.

No segundo dia, tudo foi um pouco mais natural. Me surpreendi em certa medida ao notar que ela tinha alguns cabelos brancos e algumas rugas incipientes. Ela havia posto sua alma em nosso casamento. Como eu poderia agradecer?

<

Em pouco tempo, surgiu entre nós algo diferente, que se tornava mais forte a cada dia. Me surpreendi mais ainda ao notar que minha esposa ficava a cada dia mais leve. Não disse nada a Carolina.

Era o último dia, quando me preparava para coloca-la em meus braços e a encontrei perto do armário reclamando que havia emagrecido muito ultimamente. E, era certo, ela estava muito mais magra que antes. Teria sido por nossa relação? Nosso filho entrou no quarto e perguntou quando iria levar mamãe nos braços até a porta — para ele, aquilo já era uma tradição. Então, a levantei e me senti como no dia de nosso casamento. Era incrível. Ela me abraçou suavemente.

Quando pus minha esposa no chão, peguei as chaves do carro rapidamente e fui voando para o trabalho. Ao ver Carolina, disse a ela que não queria mais me divorciar e que o amor com minha esposa só havia esfriado porque tínhamos deixado de prestar atenção um ao outro. Carolina me deu um tapa e saiu.

Estava feliz, pois logo veria minha esposa. Saí o mais cedo possível do escritório, parei numa loja de flores e comprei o buquê mais belo que encontrei. Quando o vendedor me perguntou o que deveria escrever no cartão, respondi imediatamente: «Seria uma honra leva-la carregada até o final».

Cheguei em casa com o coração palpitando e um grande sorriso no rosto. Subi as escadas e entrei no quarto. Minha esposa estava na cama. Estava morta.

Em pouco tempo, me dei conta de que ela havia lutado com toda garra contra um câncer nos últimos meses e não me disse nada. E eu não me dei conta por estar ocupado com Carolina. Minha esposa era uma mulher incrivelmente sábia: para que eu não parecesse um monstro diante de meu filho pelo divórcio, pensou naquelas condições que inicialmente me pareceram tão tolas.

Por fim, espero que minha história sirva de ajuda que alguém possa cuidar de sua família. Muitas pessoas se rendem sem saber que estão a apenas um passo da vitória.

 

 

Se você quiser saber realmente como emagrecer na prática faça como nossos visitantes que estão vendo ESTE FANTÁSTICO VÍDEO DO DR MAURICIO, clique aqui para Assistir

Gostou? Entre para o nosso grupo no Facebook e receba receitas diariamente clique aqui


Imprimir ou Salvar
Esta Receita
Envie pelo
Whatsapp
Receitas Sugeridas
Comente nesta receita

Busca

Novidades

Área de Assinantes

Meu Livro de Receitas
Faça o seu login abaixo para listar suas receitas

Esqueci minha senha
Quero me registrar